RS registrou recorde de solicitações de seguro-desemprego em maio

O Rio Grande do Sul contabilizou 66.820 solicitações do benefício do seguro-desemprego em maio de 2020. O índice representa um recorde na série histórica iniciada em 2011. Os recordes anteriores foram registrados em abril de 2020 (53.056) e em julho de 2014 (51.441).

 Do total de 66.820 solicitações do benefício, 37.527 foram recebidas pela internet e 29.293, presencialmente nos postos de atendimento, sendo 97,5% nas Agências FGTAS/Sine. O número total de requerimentos representa aumento de 70,3% em comparação a maio de 2019 e de 25,9% em relação a abril de 2020. 

No ranking nacional de solicitações do benefício, o RS ocupava a 4ª posição em maio deste ano, atrás apenas dos estados de São Paulo (281.360), Minas Gerais (103.329) e Rio de Janeiro (82.584); conforme dados divulgados pelo Ministério da Economia. No mês passado, foram contabilizados 960.258 pedidos de seguro-desemprego no Brasil. O número representa um aumento de 53% na comparação com maio de 2020 (627.779) e de 28,3% em relação a abril deste ano (748.540).

 Perfil do trabalhador desempregado gaúcho 

Do total de trabalhadores que solicitaram o seguro-desemprego em maio de 2020 no RS, 56,2% eram homens e 43,8%, mulheres. Com relação à faixa etária, 30% possuíam entre 30 e 39 anos; 21,1%, 40 e 49 anos; 18,5%, 18 e 24 anos; 17,3%, 25 e 29 anos; 12,4%, 50 e 64 anos; e 0,2%, mais de 65 anos.

 Ainda, sobre a escolaridade dos solicitantes, a maioria (51,2%) tinha Ensino Médio completo; 13,9% possuíam Ensino Fundamental incompleto; 12,7%, Ensino Fundamental incompleto; 10,4%, Ensino Médio incompleto; 6%, Ensino Superior completo; e 5,4%, Ensino Superior incompleto. 

No que tange ao setor econômico em que atuavam os requerentes, 33% trabalhavam no setor de serviços; 31,2%, na indústria; 25,9%, no comércio; 6,6%, na construção e 3,3%, na agropecuária. Já a faixa salarial em que se enquadrava a maior parte dos solicitantes (69,2%) variava de 1,5 a 3 salários mínimos. Ao todo, o benefício foi concedido a 86,2% ou 57.567 trabalhadores que estavam habilitados a receber o seguro. 

Acumulado do ano

 Os pedidos do benefício do seguro-desemprego aumentaram 27,7% de janeiro a maio de 2020 em comparação ao mesmo período de 2019 no Rio Grande do Sul. Neste ano, foram recebidas 211.236 solicitações do benefício; enquanto em 2019, esse índice era de 165.389 pedidos. Confira, na tabela a seguir, os dados mensais de requerimentos: 

AnoCompetênciaRequerimentos
DigitaisAgências FGTAS/SineTotal
2020Janeiro2.67729.64932.326
Fevereiro2.54824.93427.482
Março10.47422.17032.644
Abril44.9727.73152.703
Maio37.52728.55466.081
2019Janeiro46231.14731609
Fevereiro28429.27829562
Março37830.06830446
Abril35035.97036320
Maio35637.09637.452

Atendimento presencial 

De 23 de março a 10 de maio, o atendimento presencial nas Agências FGTAS/Sine esteve suspenso como medida de prevenção ao coronavírus. No período, foi estabelecido o regime de teletrabalho e mantido o atendimento à população por telefone, whats app e e-mail, além dos canais digitais. Ao todo, foram prestados 17.372 atendimentos na modalidade de trabalho remoto, o que equivale a uma média de 620 atendimentos diários.

 O atendimento presencial foi restabelecido no dia 11 de maio, nas Agências FGTAS/Sine. Atualmente, 125 unidades dispõem de atendimento presencial de encaminhamento de seguro-desemprego no RS. Em Porto Alegre, esse serviço é oferecido, exclusivamente, nas Agências FGTAS/Sine Centro (Rua José Montaury, 31) e Zona Norte (Av. Baltazar de Oliveira Garcia, 2.132). No interior do Estado e na Região Metropolitana, permanecem fechadas as Agências FGTAS/Sine de Gravataí, Lajeado e Rolante. Os atendimentos por meio dos canais virtuais nessas localidades seguem normalmente.

 O funcionamento de todas as agências coordenadas pela Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS) é de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h. É permitida a entrada e permanência de público equivalente ao número de atendentes da FGTAS disponível nas unidades. É obrigatório, ainda, o uso de máscara e distância de, no mínimo, dois metros entre os trabalhadores que aguardam atendimento nas filas que se formarem eventualmente 

Como solicitar o benefício pela internet 

• O trabalhador pode realizar o encaminhamento do benefício seguro-desemprego pela internet após sete dias da dispensa, por meio do aplicativo Carteira de Trabalho Digital
• Uma vez com acesso à conta, é preciso clicar em “Solicitar Seguro-Desemprego” e informar o número do requerimento que está no comunicado de dispensa.
• Em seguida, confirmar a solicitação e obter um comprovante ao final do processo. No portal www.gov.br também pode ser encaminhado o benefício. Se a solicitação on-line for concedida automaticamente, receberá a informação de que a emissão das parcelas ocorrerá em 30 dias contados a partir da data de liberação pelo sistema. Caso ocorra problemas no encaminhamento on-line, entre em contato pelo telefone 158. Se o sistema notificar pendências, o cidadão deve enviar e-mail para a Agência FGTAS/Sine da sua cidade para que seja fornecido auxílio nas situações de seguro empregado doméstico, seguro com alvará judicial, seguro por término de contrato ou se o sistema acusar confirmação no posto e divergência de dados cadastrais.

 Confira a lista de telefones e e-mails das Agências FGTAS/Sine

Assessoria de Comunicação Social
Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS)

Comenta aí o que você achou dessa matéria...