Importância de manter a saúde física e mental em tempos de isolamento social

Criar uma nova rotina diante das restrições para conter a pandemia do coronavírus é uma das formas de enfrentar este período de isolamento social

Ações tão comuns no dia a dia, como abraçar, beijar, trabalhar em espaço compartilhado ou caminhar pela cidade, tornaram-se perigosas em tempos de pandemia de coronavírus. Entre as medidas de prevenção está o isolamento social. Situação imposta e necessária para manter a saúde de todos, mas que também afeta a saúde física e emocional. Por isso, criar uma nova rotina diante das restrições vividas é essencial para as pessoas enfrentarem este momento.

O isolamento social, somado a situação atual de pandemia, pode fragilizar a capacidade das pessoas de lidar com esse tipo de situação, provocando diversos problemas físicos e emocionais como alteração do humor, aumento da ansiedade, alteração da pressão, insônia, irritabilidade, pessimismo, desânimos e até sentimentos de tristeza e solidão. Também vale ressaltar que o desequilíbrio emocional afeta o sistema imune e as pessoas podem ficar mais propensas ao desenvolvimento de doenças. 

A psicóloga do Centro de Tratamento do Câncer (CTCAN) Susie Noschang comenta algumas formas de lidar com este momento vivenciado no Brasil e em outras diversas partes do mundo. “O isolamento social pode afetar a saúde física e emocional em função de nos afastarmos da nossa vida cotidiana, pois tínhamos nossas rotinas e atividades diárias, principalmente quando isso acontece de forma abrupta e inesperada. É preciso uma readaptação da vida como um todo e criar uma nova rotina, dentro do que é possível, diante das restrições que são impostas”, sugere Susie.

Aceite o momento e siga as orientações

A sugestão é para que as pessoas aceitem a situação atual, sem negar ou fazer de conta que ela não está acontecendo. “Após aceitar a situação, temos que ser responsáveis e tomar as medidas e comportamentos necessários para que possamos manter nossa saúde física e emocional, assim como daqueles que estão ao nosso redor. Além disso, seguir as recomendações dos órgãos competentes”, comenta Susie. 

Fique em casa, curta a família e realize atividades prazerosas

O isolamento das pessoas em casa é importante para evitar que o coronavírus se alastre ainda mais.  “É hora de se reinventar, procurar atividades que possam ser prazerosas mesmo dentro de casa. Aproveitar o tempo para fazer coisas que não se consegue fazer quando está no ritmo acelerado de trabalho. Procure ler livros, assistir séries e filmes, jogar carta, arrumar a casa, colocar em ordem as coisas que deixamos sempre para depois. Além disso, podemos aproveitar para fazer atividades com os filhos e curtir mais a família”, observa a psicóloga, frisando que também é importante estabelecer os espaços entre os membros da família dentro de casa para evitar conflito, no sentido de respeitar o espaço de cada um. 

Reflita

A reflexão é um ato essencial nesta nova rotina. “É momento de nos recolhermos em si, meditarmos e tomarmos mais consciência da vida, assumindo atitudes diferentes diante da relação que temos com a nossa própria vida e com a dos outros”, destaca a psicóloga.

Informação na medida certa. Cuidado com fake news

A informação é fundamental, mas em demasia pode ser um problema. Também é preciso ter muita atenção para não cair nas fake news, absorvendo e disseminando notícias falsas. “A informação de forma exagerada pode gerar muita ansiedade e prejudicar a capacidade das pessoas em discernir o que é fato real e essencial saber. Escolher fontes de informações seguras e confiáveis é muito importante para filtrar corretamente”, alerta Susie. 

Longe, mas próximo: evite a solidão 

O isolamento pode levar a solidão, principalmente nas pessoas que moram sozinhas ou até mesmo para quem vive com familiares em convívio conflituoso. “Neste momento de isolamento, é importante que as pessoas procurem formas de apoio social, seja pelas redes sociais ou se comunicando por vídeo chamada. Essas são formas de comunicação que nos deixam mais próximos dos outros, mesmo à distância, com pessoas que nos trazem segurança e acolhimento”, assegura a psicóloga.

Susie ressalta, ainda, que as pessoas podem procurar ajuda de profissionais da psicologia que trabalham na modalidade online de atendimento, que orientarão o indivíduo a lidar com a situação e serão fonte de acolhimento para as angústias.

Faça atividade física e tenha uma alimentação saudável

Ler, assistir TV, ficar no celular ou no computador não devem ser as únicas atividades em casa. “É preciso se movimentar: caminhar, pular corda, dançar ou fazer um circuito de exercícios, entre outros exemplos. Além disso, a alimentação saudável é outro fator importante para fortalecer o sistema imunológico”, enfatiza Susie.

Home office exige planejamento

A rotina, a organização e o planejamento devem fazer parte no sistema home office. “Para quem está trabalhando em casa em razão da pandemia, a rotina de trabalho é fundamental. Ela ajuda a nos organizar e colocar tarefas a serem compridas, e isso, nos mantém ativos e responsáveis por alguma coisa. Se não colocar uma rotina diária corre-se o risco de ficar ocioso, desanimado, queixoso por não ter nada para fazer, podendo levar a um estado mais deprimido. Então, organizar horário de trabalho e horário de lazer é necessário para estabelecer limites saudáveis na rotina em família”, garante a psicóloga.

Pânico só piora a situação

A psicóloga reforça que é preciso ter calma para enfrentar o momento. “Buscar recursos que nos tranquilizem, ficar perto de pessoas que nos fazem bem e nos apoiem, ou buscar ajuda de profissionais especializados são algumas opções para evitar o pânico”, revela Susie.

Além disso, a criatividade e a readaptação ajudam as pessoas viverem de uma forma diferente a nova realidade. “Não fixar o olhar no problema, e sim, para as possibilidades de solução, é outro recurso que nos ajuda bastante. Viver um dia por vez, se preocupando com o que está acontecendo agora, tende a minimizar a ansiedade e a lidar melhor com as adversidades. Somos capazes de lidar somente com o que é real e está ao nosso alcance, isso nos traz mais tranquilidade e serenidade para conduzir as dificuldades da vida”, salienta a psicóloga.

Não seja egoísta

Neste momento de pandemia e isolamento, é preciso bom senso e deixar de lado o egoísmo. “Temos que pensar no todo, pois diante de um vírus que se propaga rapidamente, temos que agir todos juntos e para todos se quisermos resultados positivos”, declara Susie.

Fonte: Assessoria de Imprensa CTCAN

Comenta aí o que você achou dessa matéria...