“Cada vez que um policial é agredido, a sociedade é agredida” diz Delegado Adroaldo Schenkel durante homenagem a colega morto em serviço:

Mais uma vez a segurança pública presta homenagem a um policial morto em serviço. Em menos de 15 dias, Edler Gomes dos Santos foi o quarto policial a morrer durante uma ação policial.

Pela parte desta manhã de terça-feira, 16, a Polícia Civil cumpria ordem judicial durante operação policial em Montenegro. O policial civil foi alvejado com disparo de arma de fogo durante a ação.

Edler, de 54 anos, se formou em 2010 e estava lotado na Delegacia de Lavagem de Dinheiro do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc).
Nesta tarde de terça-feira, 16, em grande parte do Rio Grande do Sul foi realizada uma homenagem ao agente.

Em Passo Fundo, a homenagem ocorreu em frente à Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida e contou com a presença de vários órgãos de segurança pública, como Corpo de Bombeiros, Samu, Força Voluntária, Guarda Municipal de Trânsito, Brigada Militar e Polícia Civil.

O delegado regional, Adroaldo Schenkel, emocionado, falou à imprensa que sente muito e dói bastante ter mais um policial morto.

“Cada vez que um policial é agredido, a sociedade é agredida. A sociedade tem que ter percepção que nós somos a última barreira entre o bem e o mal e estamos sofrendo baixas muito frequentes. Ao mesmo tempo em que ouvimos de alguns pseudos políticos, enquanto rolam e deitam encima dos privilégios, falarem que a nossa categoria é privilegiada, eu desafiaria algum deles passar uma semana com nós, deixando sua família na madrugada com salário atrasado, para ir cumprir o dever policial, ou até mesmo consolar a mãe, o pai, o filho e a esposa de um policial morto, para ver se ele ainda falaria em privilégios.” Destacou Schenkel em entrevista a imprensa.

Fonte: Rádio Planalto/Bruno Reinehr

Comenta aí o que você achou dessa matéria...