Deic ganha reforço de seis policiais para investigar ataques a bancos no RS

O Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) ganhou nessa terça-feira o reforço de seis policiais que ajudarão nas investigações de ataques a bancos em Porto Alegre e no interior do Rio Grande do Sul. A informação foi divulgada nesta quarta pelo diretor da Polícia Civil do Estado, Emerson Wendt. Segundo ele, outros três agentes serão encaminhados ao setor em breve e o auxílio deve durar em torno de três meses.

Desde o dia 2 de março até hoje, oito instituições bancárias foram alvos de assaltos ou arrombamentos em solo gaúcho. O caso mais recente ocorreu na madrugada desta quarta, quando uma quadrilha formada por 10 homens arrombou agências do Sicredi e do Banco do Brasil na cidade de Mata, situada na região central do Rio Grande do Sul.

Nessa terça-feira, dois episódios foram registrados no interior e na Capital. O primeiro, ainda durante a madrugada, ocorreu em Santa Clara do Sul, quando os criminosos renderam passageiros de um ônibus e usaram um cordão humano para arrombar com explosivos uma agência do Banco do Brasil.

Ainda ontem, no final da tarde, um Banrisul localizado na avenida Getúlio Vargas, em Porto Alegre, foi arrombado. O grupo esperou o fim do expediente bancário para atacar e realizou o assalto sem dar um disparo. Na ocasião, os vigias foram rendidos e ninguém ficou ferido.

Ataques no interior 

Na madrugada de sábado, em Taquari, uma agência do Banco do Brasil foi arrombada com explosivos. O grupo era composto por pelo menos cinco homens, que renderam moradores da cidade que estavam na rua e usaram as vítimas como escudos humanos.

Na última sexta-feira, três bancos foram atacados no Estado. Um dos casos ocorreu na cidade de Três Palmeiras, onde os criminosos formaram um cordão humano durante o assalto ao Banco do Brasil. O segundo ataque de sexta-feira ocorreu no Banrisul do município de Braga. Quatro homens armados anunciaram o assalto e levaram o dinheiro dos caixas. No Sul do Estado, em Piratini, criminosos explodiram caixas eletrônicos do Banrisul. Os suspeitos ainda deixaram um explosivo ativo e o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi acionado para para desativar o artefato.

Fonte: Correio do Povo

Comenta aí o que você achou dessa matéria...