Cuba: saúde e qualidade de vida para todos

 

Segundo matéria do Ópera Mundi, Margaret Chan, diretora-geral da Organização Mundial da Saúde, elogiou o sistema de saúde cubano e se declarou impressionada com as conquistas nessa área. “Cuba é único país que eu vi que tem um sistema de saúde estreitamente relacionado com a pesquisa e o desenvolvimento em um circuito fechado. Essa é a direção certa porque a saúde humana não pode melhorar se não há inovação”, enfatizou. Destacou “os esforços da administração desse país em colocar a saúde como pilar essencial do desenvolvimento”.

Cuba baseia seu sistema na medicina preventiva e os resultados são excepcionais. Segundo Margaret Chan, o mundo deve seguir o exemplo da ilha nesse campo e substituir o modelo curativo, pouco eficiente e custoso, por um sistema baseado na prevenção. “Desejamos ardentemente que todos os habitantes do planeta possam ter acesso a serviços médicos de qualidade, como em Cuba”, destacou.

Crianças bem tratadas, lindas e educadas.

Em nossa visita a Cuba pudemos pessoalmente comprovarmos a eficiência da medicina cubana.

Os médicos são são formados pensando na prevenção e não no doente no hospital.

O atendimento é extensivo a toda a população em qualquer parte do país e pode se dizer que começa mesmo antes de nascer. As mulheres grávidas tem atenção especial. Tudo isso sustenta-se num sistema de saúde acessível a todos, universal e gratuito; com um alto desenvolvimento educacional da população.

 

.

Os indicadores abaixo referem-se ao ano 2015, estão expostos num mural com muito destaque: impressionam,

Em Cuba a mortalidade infantil é de 4 óbitos para cada 1000 nascimentos. No Brasil, são 15 em 1000.

A expectativa de vida dos cubanos é de 78,4. No Brasil é de 75,5 anos (IBGE).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *