Emater/RS-Ascar auxilia famílias de Rolante afetadas por desastre ambiental

A Emater/RS-Ascar fez, nesta quinta-feira (12/01), uma força tarefa para avaliar, individualmente, com os produtores das localidades de Linha Petry e Reichert quais foram as perdas em suas propriedades após o desastre ambiental de grandes proporções que ocorreu em Rolante no dia 5 de janeiro de 2017. O atendimento ocorreu na propriedade de Valdomiro Haag — Linha Reicheter, em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Secretaria Municipal de Agricultura. 

Já na quarta-feira a força tarefa integrada pelos extensionistas Leandro Hanich, Fernando Abreu de Campos, Carine Gross de Barros, Ivamar Silva Oliveira, Guilherme Martins Costa, Maria Rosane Renck e Janelise Wastowski atendeu agricultores de Mascarada e Alto Rolante, principais comunidades afetadas pela enxurrada, cujo volume provocou dezenas de desmoronamentos de terra nos leitos dos rios que banham a cidade, Rio Rolante e Rio Rolantinho da Areia.

Como explica a chefe do escritório municipal da Emater/RS-Ascar em Rolante, Janelise Wastowski, houve inundação sem precedentes de água e lama em boa parte da extensão territorial do município, gerando perdas em oito comunidades. A área atingida foi de aproximadamente 1.500 hectares, compreendendo os vales que margeiam os principais rios do município. “Rolante tem característica de relevo altamente acidentado, compreendendo altitudes de 15 a 900 metros, contribuindo para ocorrência de desmoronamentos”, esclarece.

No meio rural foram atingidas 644 propriedades, em 1.500 hectares, com estragos de ferramentas, equipamentos de irrigação, insumos, estoques de grãos, silagem e produções agrícolas. Foram afetadas praticamente todas as criações de peixes, suínos, bovinos, aves e toda a produção hortigranjeira: frutas, milho, batata, feijão, mandioca, tomate, brócolis, plantações que abastecem toda a região. Além disso, a infraestrutura dos produtores rurais foi absolutamente prejudicada, com açudes soterrados, pastos e lavouras inteiramente devastados, acessos viários destruídos, cercamentos levados pela água, bem como contaminação de fontes de água.

Janelise explica que também foram registrados danos irreparáveis em tratores, carroções, galpões, e demais edificações rurais destinadas às atividades agropecuárias e residência. O prejuízo calculado soma a quantia de R$ 9.025.700,00 (nove milhões e vinte e cinco mil e setecentos reais).

Além da força tarefa para cálculos individuais de perdas, os extensionistas da Emater/RS-Ascar fizeram o laudo de perdas e prejuízos para a Defesa Civil, ajudou a construir o plano de recuperação emergencial do município e auxiliou, no Salão Cristo Rei, no recebimento e distribuição de donativos aos atingidos pela enxurrada.

“Estas ações terão continuidade nos próximos dias até que a situação seja normalizada”, ressalta o gerente regional adjunto da Emater/RS-Ascar em Porto Alegre, Air Nunes dos Santos.

 

Informações: Emater-RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *