Aleida Che Guevara fala de Che, Fidel e do atual momento de Cuba.

 

Em entrevista exclusiva concedida ao nosso grupo, muito carinhosamente Aleida Che Guevara falou da vida de Che Guevara, de suas lembranças pessoais como filha.

Disse que Che era uma pessoa normal, com um ideal revolucionário. Tinha gosto pela arte, pela fotografia, pela pintura. Sempre por onde andou buscou de alguma forma comunicar-se com a família. Segundo ela Che “viveu a plenitude do processo revolucionário”.

Falou sua  morte. De que Fidel Castro foi quem lhes comunicou. Disse que não deveriam chorar por “papa” porque ele morreu fazendo o que ele queria. Fidel tinha uma carta deixada por Che para ser lida quando morresse na qual ele pedia que sua família  não devia chorar, dentre outras coisas.

texto da carta deixada por Che.

 

Falou emocionadamente da morte de Fidel “el comandante”.

Nos mostrou seus materiais, escrito, fotos e até seu carro ainda guardado.

Automóvel que pertencia a Che.

 

Esta é a frase de apresentação para quem chega a Santa Clara para visitar o monumento dedicado a Che Guevara.

Neste lugar pode ser visto o local onde encontram-se seus restos mortais e de outros combatentes.

Ainda Pode ser visto um vasto material por ele usado (armas, vestimentas, objetos pessoais…) e de sua trajetória de vida. (Neste local não é permitido fazer imagens).

O assalto ao trem blindado: combate marcante da luta revolucionária em Cuba ocorreu em 29 de dezembro de 1958 dentro das ações militares desenvolvidas pelas tropas rebeldes da Coluna Nº. 8 Ciro Redondo, dirigidas por Che Guevara. A tirania de Batista havia enviado para Santa Clara um trem blindado composto por 2 locomotivas, 22 vagões e um carro explorador que transportavam 408 soldados e grande quantidade de armas e munições com a missão de deter a contraofensiva do Exército Rebelde em direção à Havana.
Um pelotão do Exército Rebelde, comandado pelo Capitão Ramón Pardo Guerra e composto de apenas 24 guerrilheiros, foi o responsável pelo ataque ao Trem Blindado. Os 24 combatentes descarrilharam o trem e derrotaram os 408 soldados da tirania capturando todo o material bélico transportado pelo trem – armamento suficiente para equipar 600 homens.
O fato foi definitivo para em seguida acontecer a tomada da Havana e o movimento revolucionário ser vencedor.
FONTE: TEXTO E IMAGENS DE VALÉRIO BERNARDI



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *