“Dizer que não vai sair mais ninguém é agredir o orçamento do clube”, diz Odorico

Vice de futebol do Grêmio admitiu necessidade de novas vendas após saída de Walace

A confirmação da venda de Walace para o Hamburgo não fecha as portas para saída de jogadores no Grêmio. Durante a apresentação do lateral Cortez nesta segunda-feira, o vice de futebol Odorico Roman disse que não pode garantir que outros atletas não serão vendidos. “Dizer que não vai sair mais ninguém é agredir o orçamento do clube. Temos de fazer R$ 60 milhões para mantar o orçamento de 2017″, afirmou o dirigente.

Walace foi vendido ao Hamburgo por 10 milhões de euros, equivalente a R$ 33 milhões. O Grêmio tem direito a 60%, o que dá em torno de R$ 20 milhões. Odorico destacou que o orçamento do clube prevê uma receita de R$ 60 milhões com vendas de jogadores. A ideia da direção, no entanto, é evitar vendas na atual janela de transferências. Nos principais países da Europa, a janela se fecha amanhã. No entanto, em outros mercados, caso da China, ainda se estendem pelo mês de fevereiro.

Odorico admitiu que o Grêmio esperava vender Walace por um valor maior. ”Às vezes, as negociações tomam o rumo que a gente não consegue administrar da melhor forma. O Grêmio vai receber um valor significativo. Obviamente que tínhamos a ideia de que conseguiríamos mais futuramente ou até mesmo agora, podendo conversar, mas as vezes a negociação toma um rumo que foge um pouco do controle do clube”, afirmou.

Jadson praticamente descartado

Durante a coletiva, o vice de futebol do Grêmio Odorico Roman praticamente descartou a contratação do meia Jadson, um pedido do técnico Renato Portaluppi. O motivo é o alto salário pedido pelo jogador. “O Jadson foi oferecido ao Grêmio, mas os valores propostos ficam muito acima. Não existe nenhuma possibilidade de o Jadson vir com esses valores”, condicionou.

 

Fonte: Correio do Povo




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *