Dirigente prega criatividade em contratações para equalizar finanças do Inter

Como se não bastasse a queda para a Série B, o Inter deverá administrar possíveis problemas financeiros que podem afetar o clube na temporada de 2017. Enquanto enfrenta a possibilidade de promover uma auditoria nas contas de gestão de Vitorio Piffero, a nova diretoria prega criatividade na contratações para tentar equalizar finanças do clube.

 

“A condição das finanças nos gera dificuldades para adquirir jogadores que tenham direitos econômicos mais valorizados e por isso precisaremos ser cirativos para lidar com um grupo grande que tem contratos longos. A crise financeira do País também afetou o futebol e hoje dois ou três clubes estão com fluxo de caixa positivo para trabalhar. Não vamos iludir o torcedor e dizer que num passe de mágica vamos transformar problemas severos em soluções imediatas”, explicou o membro do Conselho de Administração, Alexandre Chaves Barcelos.

 

Barcelos explicou ainda que o trabalho de Antônio Carlos Zago será fundamental neste processo de readequação financeira do Inter. “Vamos ter que contar com o trabalho do treinador, que vai avaliar os jogadores que não renderam num ambiente diferente, em uma atmosfera diferente, para que possam dar uma nova resposta. Cada caso será avaliado de maneira específica e é claro que num primeiro momento não poderemos encaminhar rescisões de contrato”, argumentou. “O Roberto Melo está fazendo um bom trabalho e acredito que o Inter terá um time competitivo para recolocar o clube no lugar de onde nunca deveria ter saído. Acho que teremos um ano tranquilo para buscar o acesso e, de repente, tentar o título da Copa do Brasil”, acrescentou.

 

Conforme Barcelos, a real condição financeira do Inter ainda não está clara para a nova direção. O integrante do Conselho de Administração até comentou que o estatuto do clube deveria ter sido modificado, garantindo a posse antes de janeiro. “Estamos concluindo o processo de transição. A partir da posse, no dia 3 de janeiro, vamos conhecer o cenário. Sabemos que existem pendências relativas a direitos de imagem e impostos que devem ser quitadas pela atual gestão”, revelou.

Correio do Povo




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *