Corpos de Felipe Machado e de Biteco serão velados na Arena do Grêmio

Pai do zagueiro Filipe Machado, Osmar Machado confirmou que o corpo do filho será velado na Arena a partir de sábado. O horário ainda será confirmado pela família, pois depende dos trâmites burocráticos de liberação. Antes de vir para Porto Alegre, o corpo ficará duas horas na Arena Condá para a despedida dos torcedores de Chapecó. Outro atleta da Chapecoense que será velado na esplanada junto ao portão A será Matheus Biteco, formado no Tricolor.

Apesar de ter sido formado no Inter, foi a direção do Grêmio quem ofereceu as dependências da Arena para a realização do velório.  Como são esperadas muitas pessoas, a família optou por não realizar as cerimônias em Gravataí. Segundo informações da assessoria de imprensa do Colorado, o vice de futebol, Fernando Carvalho, conversou e ofereceu para a mãe de Filipe o estádio Beira-Rio.

Piloto foi irresponsável, critica pai de zagueiro morto em acidente

Depois do órgão que controla a aviação civil na Colômbia afirmar que o avião caiu por falta de combustível, Osmar Machado criticou a decisão do piloto de não ter pousado em Bogotá para reabastecer a aeronave, como estava previsto no plano de voo e era indicado segundo especialistas ouvidos nos últimos dias.

“Ele resolveu tomar uma atitude irresponsável de, simplesmente, pegar o avião e tocar direto. Infelizmente, ele morreu. Ele tinha que ficar vivo para sentir a dor que estamos sentindo. Tinha que ter parado o avião ou até chegar para a Chapecoense e dito que a parada custaria mais 20 mil dólares. Qual é o problema? A Chapecoense vai gastar muito mais de 20 mil dólares. Foi uma irresponsabilidade, mas vamos fazer o que? A família não quer dizer nada e o avião era deles”, declarou Machado.

O pai do jogador ainda questionou como uma empresa aérea que tem apenas um avião funciona normalmente, principalmente, pela responsabilidade que o tipo de negócio exige. “Como se faz um contrato com uma empresa que tem só um avião? Não estou condenando ninguém, mas acreditava que esse tipo de pessoa não deveria nem participar da aviação, onde se tem muita responsabilidade”, afirmou o pai.

Osmar Machado lembrou ainda que o filho era muito querido por todos no clube e na cidade catarinense. “(O Filipe era) Único filho homem e querido por todos. Acompanho ele desde os nove anos. Se você andar por Chapecó, até os cachorros conhecem ele”, destacou Machado.

Fonte: Correio do Povo




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *