Sartori evita fazer previsão sobre pagamento do 13º

Parcelando o pagamento dos salários dos servidores nos últimos oito meses, o Governo do Estado enfrenta mais uma dificuldade: o pagamento do 13º do funcionalismo. Nesta quinta-feira, o governador José Ivo Sartori não deu detalhes sobre as alternativas estudadas pelo Piratini, mas garantiu que o governo vem fazendo “todos os esforços necessários” para realizar o pagamento.

“No ano passado nós resolvemos a questão do 13º salário com o auxílio do Banrisul. Hoje estamos fazendo todos os esforços para que isso possa ser feito”, disse Sartori, que afirmou não tem como dar uma previsão sobre o tema. “Como vou adiantar? Tudo depende de um fluxo, do encaminhamento. Nós estamos fazendo todos os esforços possíveis para que isso seja garantido”, afirmou.

De acordo com o apurado pelo Correio do Povo, o secretário da Fazenda, Giovani Feltes, vai aproveitar a reunião do Conselho Nacional de Secretários Estaduais da Fazenda (Consefaz) nesta sexta-feira, no Rio de Janeiro, para propor que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) abra uma linha especial de crédito para financiar o pagamento do 13º salário.

Sartori não detalhou o tema, mas disse que Feltes está no Rio de Janeiro buscando alternativas para o 13º. “O Giovani Feltes está em um encontro sobre previdência do Conselho de Secretários da Fazenda no Rio de Janeiro fazendo trativas. Nós do governo estamos fazendo outras tratativas, vamos buscar todas as alternativas para atender a essa necessidade”, garantiu.

Governador recebe novo embaixador da Alemanha

A conversa de Sartori com a imprensa ocorreu após o encontro com o novo embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel, no Palácio Piratini. Na ocasião, o governador tratou, entre outros temas, da missão que realizou na Europa em outubro, quando visitou a Alemanha. O Rio Grande do Sul busca a formação de parcerias e instituições de pesquisa com o governo alemão.

“Só não investe aqui quem não quiser. Além de controlar os gastos no governo, ajustar as finanças e propor mudanças, a atração de novas empresas será fundamental”, disse o governador gaúcho.

Sartori destacou ainda as potencialidades do estado, como os polos metalúrgico e metalmecânico e o uso das energias renováveis (eólica e fotovoltaica), onde a Alemanha é referência. Disse ainda que a retomada do protagonismo no Mercosul será importante também para o fortalecimento das relações com a União Europeia.

A preparação da 35ª edição do Encontro Econômico-Brasil Alemanha (EBBA), que ocorrerá em novembro de 2017 em Porto Alegre, também foi discutida. A expectativa é de que 500 empresários alemães venham ao Rio Grande do Sul para rodadas de negócios e prospecção de novas oportunidades de investimento.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *