Inicia o Congresso Nacional de Milho e Sorgo em Bento Gonçalves

Com o tema “Milho e Sorgo: inovações, mercados e segurança alimentar”, teve início na noite deste domingo (25/09), em Bento Gonçalves, na Serra gaúcha, o 31ª Congresso Nacional de Milho e Sorgo. Lideranças e interessados na temática prestigiaram a solenidade de abertura que contou com a participação do presidente do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, Odacir Klein, que representou o governador do Estado do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori; do diretor técnico e presidente interino da Emater/RS, Lino Moura, que representou o secretário do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, Tarcísio Minetto; do Presidente da Associação Brasileira de Milho e Sorgo, Décio Karam; e do presidente do Congresso, Zeferino Chielle.  

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Milho e Sorgo, nas 30 edições já participaram do evento cerca de 20 mil pessoas, sendo apresentados mais de 14 mil trabalhos científicos da área. “Queremos que esse evento possa incentivar e promover o debate sobre milho e sorgo para o conhecimento e aprendizado, visando maior distribuição de informações”, frisou Karam.

Na ocasião, Moura destacou para o público presente a importância do evento para discutir a cadeia produtiva do milho e do sorgo, especialmente quando a produção do milho está carente no Rio Grande do Sul. “Esse congresso veio no momento certo para o nosso Estado para discutir as questões tecnológicas, de logística e de abastecimento de milho e, ao mesmo tempo, trazer um novo ânimo para a pesquisa e para extensão rural para retomar com força o trabalho com milho, no momento em que os agricultores olham para soja como prioridade e que a área do milho reduziu drasticamente no Rio Grande do Sul”, frisou.

Para a safra 2016/2017 de milho, a estimativa da Emater/RS-Ascar é que sejam cultivados com o grão cerca de 810 mil hectares, gerando uma produção total de cinco milhões de toneladas. Essa quantidade, segundo Moura, é insuficiente para atender a demanda do Estado. “São necessárias seis milhões de toneladas de milho para garantir o abastecimento das cadeias produtivas de suínos, aves e gado de leite e a exportação. Trabalhamos com a expectativa de que, em um impulso final, ainda possamos aumentar a área de milho e também a produtividade para que a produção faltante seja menor do que a que aconteceu na safra 2015/2016”, explica.

Nesta segunda-feira (26/09), a partir das 8h30, terão início as conferências, palestras, painéis e workshops. Iniciando as atividades do dia, o representante da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), Alan Jorge Bojanic Helbingen, realiza a conferência “O desafio da produção sustentável frente à demanda crescente por alimentos saudáveis”. Também serão realizadas palestras sobre “Tecnologia da informação aplicada à agricultura”; “Irrigação como estratégica de estabilidade do rendimento de milho”, “incidência de doenças vinculadas aos sistemas de produção”, entre outras. Também serão realizados os painéis “Desafios para a produção de milho e sorgo” e “Mercados especiais para milho e sorgo”, além de visitas aos estandes. O 31ª Congresso Nacional de Milho e Sorgo será realizado até a próxima quinta-feira (29/09).

Fonte:  Assessoria Emater/Ascar




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *